Entenda as Testemunhas de Jeová


Publicado em: 15/12/2001
Dados Históricos: Fundador: Charles Taze Russel, nasceu em 1852 na Pensilvânia, nos Estados Unidos, morreu em 1916. Foi criado na Igreja Presbiteriana. Foi membro da igreja Congregacional e ingressou na Igreja Adventista, abandonando-a depois. No ano de 1874 iniciou o seu próprio movimento, chamando-o "Religião Organizada". Escreveu uma obra de 7 volumes, sob o titulo: "Estudos nas Escrituras", que foi muito divulgada. Russel foi um homem de maus procedimentos. Casou-se em 1879. Várias vezes compareceu a tribunais. Após a morte de Russel, Joseph Franklin, nascido em 1986, advogado e juiz tomou a direção da seita e somente a deixou na sua morte em 1942. O chefe atual, sucessor de Rutherford chama-se Nathan H. Knor, já em idade bem avançada. Os Russelistas e suas doutrinas: A TRINDADE: Afirmam que Satanás deu origem à Trindade, dizem também que a Doutrina da Trindade é uma superstição herdada do paganismo egípcio e babilônico.
REFUTAÇÃO:
Embora a palavra "Trindade" não esteja na Bíblia, ela apresenta desde a primeira página. Gn 1.1, o nome Deus (elo him, plural, indicado mais de uma pessoa. A Trindade está presente em toda a Bíblia, vejamos:
1) A Criação do Homem Gn 1.26.
2) Conclusão divina à capacidade de conhecimento do homem a respeito do bem e do mal Gn 3.22.
3) Confusão das línguas em Babel (3n 11.7.
4) Visão e chamada de Isaías Is 6.8.
5) Batismo de Jesus- Mt 3.16-17
6) Distribuição dos dons espirituais - 1 Co 12.4-6.
7) Benção Apostólica - 11 Co 13.13.

É bom salientar que apesar de haver uma publicidade na palavra Elohim, não é o caso de haver três Deuses, todos três independentes e de existência própria. Os três cooperado unidos e num mesmo propósito, de maneira que no pleno sentido da palavra, são "um". O Pai cria o Filho redime, e o Espírito Santo santifica; e no entanto enfocada uma dessas operações divinas o Criador, mas também o Filho e o Espírito são tidos como cooperadores na mesma obra. É verdade que a Trindade não aparece no Novo Testamento; é uma expressão teológica, que surgiu durante o 20 século para descrever a Divindade. Mas o planeta Júpiter existiu antes de receber este nome; e a doutrina da Trindade encontra-se na Bíblia antes de receber a terminologia Trindade.
DOUTRINA SOBRE A PESSOA DE JESUS CRISTO
Eles negam todas as principais doutrinas da Igreja sobre a Pessoa Bendita de Jesus Cristo. Negam que Jesus seja Deus. Afirmam que é um ser criado como o são os anjos e o homem. Ensinam que Deus criou a Jesus como filho e então usou-o como seu sócio. Afirmam também que Jesus antes de vir ao mundo, era arcanjo Miguel.
REFUTAÇÃO
A Bíblia afirma categoricamente que Jesus é Deus, em João 1.1, temos a seguinte afirmação: "No principio era o Verbo e o verbo estava com Deus e o Verbo era Deus". Permita-me agora explicar este versículo, da seguinte maneira: "O Verbo estava com Deus": A palavra "com" é tradução de urna preposição grega que significa literalmente "de frente" ou "olhando para" . Assim sendo, a palavra ou Verbo é uma pessoa que está nesta relação com o Pai. No grego há outro significado definitivo antes do vocábulo "Deus", o que indica que a Primeira Pessoa da Trindade é ali referida. Dessa maneira João está falando sobre a comunhão entre a Palavra Jesus Cristo - e o Pai, uma comunhão que existirá por toda a eternidade, a qual nunca foi interrompida senão naquele misterioso momento no Calvário, quando o Filho clamou: "Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste?" "E o verbo era Deus": Aqui a palavra é empregada dessa maneira, refere-se à essência divina. É posta ênfase a qualidade ou o caráter. Dessa maneira, João nos ensina aqui que nosso Senhor Jesus Cristo é essencialmente Deidade. Ele possui a mesma essência possuída por Deus Pai, e é um só com Deus Pai quanto à natureza e aos atributos. Jesus de Nazaré, o carpinteiro, o mestre, é o próprio Deus. Explicando o versículo: No principio era o Verbo (conceito total de Deus) e o Verbo estava de frente com Deus (Pai), e o Verbo era (quanto â Sua essência ou natureza) Deus.
DOUTRINA SOBRE A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO
Negam a personalidade do Espírito Santo dizendo que é apenas um poder invisível, uma influência impessoal emanada de Deus, um mero fluido para executar a vontade divina.
REFUTAÇÃO.
Em primeiro lugar queremos salientar que o Espírito Santo é uma Pessoa, pois lhe são atribuídos predicados de uma personalidade. Se o Espírito Santo não é um mero poder emanado de Deus, e sim a Terceira Pessoa da Trindade, então a nossa preocupação não será mais como poderemos nos apossar do Espírito para realizar o nosso trabalho, senão, como entregarmos a Ele para que realize, por nosso meio, a sua obra no mundo. O Espírito Santo é o dirigente, o crente coopera com Ele; O Espírito Santo é o Mestre e o crente é o discípulo. Sendo Espírito Santo uma pessoa Ele age como pessoa.
Ele ama - Rm. 15.30.
Ele ensina - João 14.26.
Ele fala - Atos 13.2.

A palavra `alma" vem da hebraica ``Nephesh" e da grega `Psyche", e tem nas Sagradas Escrituras cinco significados:
1) Alma como sangue - Dt. 12.23; Lv 17.14. Compare com 1 Co. 15.50. 2) Alma como pessoa - Gn. 46.22,27. 3) Alma como vida - Lv. 22.3. 4) Alma como centro da vida moral do homem, ou seja alma como substância imaterial, espiritual e eterna. Hb. 4.12; 1 Ts 4.23; Jó 12.10; Mt. 10.28; At. 20.10.
Afirmar que a alma é o sangue, isso é insustentável, pelo fato, de que todos nós podemos dispensar uma parte de nosso sangue por algum tempo, sem prejudicar nossa vida tísica. Um homem que perdeu uma perna não tem por isso menos alma, nem perdeu parte de sua vida. Permita-me provar a imortalidade da alma, através do argumento filosófico, da seguinte maneira:
A alma, pelo fato de ser espiritual, não tem em si absolutamente nada de matéria. Nada tendo de matéria, deve necessariamente, ser um Ser simples, isto é, não composta de partes. Ora, a mortalidade consiste justamente na dissolução é corrupção das partes. Por isso, a alma, porque espiritual, não matéria, é simples: sendo simples não tem partes; não tendo partes, não pode desmanchar-se ou corromper-se. Consequentemente, desde o momento que começou existirá para todo o sempre.
DOUTRINA SOBRE O INFERNO
Algumas vezes, dizem que o inferno é este mundo, outras vezes, dizem que o inferno é a morte ou a sepultura. Na verdade, eles não têm certeza de para onde vão, não crêem na existência do inferno como lugar de castigo eterno, talvez não crêem devido o medo de algum dia, no futuro, ter que passar a eternidade nele.
REFUTAÇÃO
O inferno não é sepultura. A palavra hebraica para sepultura é "Quebar" Gn. 50.5, e a grega Menemeion. E verdade que a palavra Sheol está traduzida algumas vezes como sepultura ou sepulcro em nossas Bíblias em português, mas isso se deve ao fato da má tradução. As seguintes palavras definem a palavra inferno:
1) Sheol O mundo dos mortos Dt 32.22.
2) Hades - E a forma grega para o hebraico "Sheol", e significa o lugar das almas que partiram deste mundo - Mt 11.23; Lc 10.15; 16.23.
3) Gehena - Termo usado para designar um lugar de suplício eterno - Mt 5.22,29,30; Lc 12.5.
4) Tartaroo - O mais profundo do abismo no Hades; e significa encerrar no suplício eterno - II Pe 2.5; Dn 12.2.
ESCATOLOGIA
Ensinam que Jesus Cristo veio no ano de 1878, porém de uma maneira invisível ou seja espiritual. Afirmam que o milênio começou em 1914 e que em 1918 `Cristo veio para o templo espiritual como mensageiro de Jeová e começou a purifica-lo. Isso marcou o início do período de julgamento e inspeção de seus seguidores gerados em espírito. Houve também em 1918, uma ressurreição, porém espiritual, os santos ressuscitaram com corpos espirituais, e estão com Jesus no templo espiritual".
REFUTAÇÃO
As tabelas escatológicas russelistas são inteiramente inaceitáveis, completamente destituídas do apoio Bíblico. Iremos dar agora, a tabela escatológica da Bíblia. Os eventos finais devem obedecer a seguinte ordem:
1) O arrebatamento da Igreja 1 Co 15.51,52; 1 Ts 4.16,17.
a) Ressurreição dos mortos
b) Transformação dos vivos.

2) Tribunal de Cristo para os santos arrebatados, isto será realizado nas Mansões Celestiais: O Objetivo do Tribunal visa galardoar os salvos. Rm, 14.10; 11 Co 5.10.
3) Bodas do Cordeiro, isto também será realizado nas Mansões Celestiais. Ap 19.9.
4) Manifestação de Cristo em Glória com os seus santos e anjos. Ap 1.7; Mt 25.31; Mt 24.30.
5) No intervalo do arrebatamento da igreja e a manifestação de Cristo em glória, estará ocorrendo na terra a Grande Tribulação. A Grande Tribulação é o período de 7 anos em que o mundo estará passando pela mais terrível catástrofe de todos os tempos, que não houve e nem tão pouco haverá. Mt 24.21.
6) No final da Grande Tribulação ocorrerá a Batalha do Armagedom.
7) Julgamento das nações. Mt 25.31-46.
8) Prisão de Satanás por mil anos. Ap 20.2.
9) Inauguração do reino Milenial de Cristo na terra. Ap 20.4
10) Satanás será solto por um breve espaço de tempo, mas logo será preso para todo o sempre. Ap 20.7-lO.
11) Juízo do Grande Trono Branco. Ap 20.11 - 15.
12) Estabelecimento do Novo céu e Nova Terra. Introdução do Estado Eterno. Ap 21. 1-8.

Fonte: Webservos.
Entenda as Testemunhas de Jeová Entenda as Testemunhas de Jeová Reviewed by Antonio Jorge on 17:35:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

AD